sexta-feira, 22 de abril de 2016

A IMPRENSA HEGEMÔNICA BRASILEIRA POR MAIS QUE ENSAIE IMPARCIALIDADE NÃO CONVENCE.

Caro Boechat, devido a urgência de ter que sair rápido para o trabalho não pude tecer nenhum comentário real time sobre suas críticas ao processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff ao defender que o golpe não era golpe.
As razões rasas e inconsistentes apresentadas por você em seu programa matinal de hoje evidenciam que o nobre se acha mentalmente preso ha um lapso de tempo e espaço anterior a Teoria da Evolução das Espécies ao afirmar que o golpe não era golpe porque não envolvia violência entre outras abobrinhas de um jornalista marrom - evolua Pokémon!
Assim como nos primórdios da humanidade o homem deixou de habitar em cavernas e já cogita colonizar outros planetas de semelhante modo os golpes se sofisticaram na América Latina a partir da experiência ocorrida no Paraguai com Fernando Lugo.
Sendo, assim, por quê,então, lançar mão de fuzis,tanques e tropas?!
A engenharia do golpe hoje é algo minuciosamente pensado e estudado para dar um ar de legalidade ao que é ilegal torcendo as leis, a Constituição e a verdade dos fatos de modo a subverter o voto de 54 milhões de brasileiros, a sofisticação empregada para romper com o processo democrático contou com a colaboração de membros do judiciário, partidos e politico derrotados nas eleições de 2014, a grande mídia corporativa do país e juristas brasileiros.
Pergunto:
- As contas da presidenta Dilma foram julgadas pelo Congresso Nacional?
As provas para embasar o crime de responsabilidade fiscal foram colhidas através de um órgão auxiliar do Congresso Nacional, o TCU, sem ter o crivo do Congresso Nacional para validar a rejeição das suas contas sem falar,também, que há jurisprudência para esta prática entre governadores de estado e ex-presidentes da Republica.
Diante dos fatos por mim apresentados, não há a necessidade de se fechar o espaço aéreo para impedir o regresso da presidenta Dilma ao Brasil vinda dos EUA como parte de uma ordem dada pelo vice-presidente Michel Temer neste sentido segundo o seu comentário digno de uma mente periférica e geométrica baseado em suas fontes de informações como as revistas Veja e IstoÉ que tanto se orgulha.
A artificialidade dos seus comentários políticos beiram ao ridículo quando tenta se passar por um jornalista imparcial, isento, apartidário e apolítico o que me leva a crer que o seu conselho dado ao pastor Silas Malafaia  certos jornalistas, também, deveriam  fazer a mesma busca mas de modo determinado e ir objetivamente em busca do Kid Bengala.
José Carvalho, Salvador, 22 de abril de 2016.