sábado, 23 de julho de 2016

A INDIGNAÇÃO SELETIVA NÃO É SÓ UM FENÔMENO DA DIREITA.

A palavra "seletividade" é bonita, assim como, "senso comum" ou "clichês midiáticos".
Mas como já disse Sigmund Freud:
"O próximo é o nosso espelho, projetamos nele a nossa imagem."
Na aristocrática Europa e fidalga Alemanha morrem 9 pessoas vítimas de um desequilibrado mental e em instantes cada gueto do planeta toma conhecimento do fato ocorrido mas no esquecido Afeganistão morrem 61 pessoas vítimas de um atentado terrorista e apenas o silêncio obsequioso da opinião publica mundial.
Mas,afinal, a grande mídia corporativa nacional e internacional não se indignou porque,então,deveria eu me indignar?
José Carvalho, Salvador, julho de 2016.