domingo, 24 de julho de 2016

O GOLPE VAI PASSAR NO PLENÁRIO DO SENADO FEDERAL.

Quem acredita que o processo de impeachment possa sofrer um revés no plenário do senado federal no dia 2 de agosto ou é ingênuo, ou acompanha a politica através de manchetes de jornais sem nenhuma preocupação com referências históricas e, pior, o seu senso crítico é postiço. 
Ou seja, não é dele as impressões,juízo e julgamento dos fatos políticos mas emprestados dos editores e jornalistas da mídia impressa ou âncoras dos telejornais e quando isto acontece seus argumentos são fracos e rasos como o pires de uma xícara o que arremete ao personagem do Castelo Rá-Tim-Bum, o Nino, e suas explicações "Porque sim!" quando não conseguia uma resposta plausível para o personagem Zequinha e,assim, pudesse se sair pela tangente.
O impeachment vai passar porque toda engenharia envolvida para a sua admissibilidade no Congresso Nacional é muita suja e expõe toda a obscuridade da política nacional desde a Proclamação da República - os personagens ou participes da facção "Grande Acordo Nacional" sabem o que está em jogo não é só os cargos que ocupam na equipe de governo do interino golpista Michel Temer mas suas reputações, carreiras políticas, execração publica e,até, a privação da liberdade.
Sendo assim, o golpe passa.
O problema não é o golpe se consolidar no senado mas como será o comportamento "day after" daqueles brasileiros mais esclarecidos e proativos - na sua grande maioria são tímidos e covardes - e dispostos a se sublevarem contra um governo ilegitimo que atropelou o processo democrático por meio de artimanhas jurídicas esta, de fato, é uma preocupação real,imediata e verdadeira.
Mas só o tempo poderá responder com precisão o deslindar dos próximos acontecimento políticos no país.
José Carvalho, Salvador, julho de 2016.