sexta-feira, 2 de setembro de 2016

UM GOLPISTA NO IMPÉRIO DO MEIO.

É um grande erro crasso pensar que entre as nações existe uma relação de amizade quando na verdade o que existe, de fato, é um jogo de interesse político e econômico mútuo.
Foram os governos de Lula e Dilma quem abriram as portas de uma das maiores economias do mundo para a China porque tradicionalmente as relações de comércio exterior brasileira eram pró EUA.
Felizmente ou não eles, os chineses, aprenderam com Lênin e Mao Tsétung a não colocar a ideologia na frente da política e da estratégia.
Sendo assim, não esperem nenhuma nota de censura por parte de Pequim contra o governo usurpador do golpista Michel Temer.
Para quem esperava, também, da ONU uma nota de censura e repúdio ao escancarado golpe de Estado Parlamentar ocorrido no Brasil, se enganou.
Para os de memória curta é bom lembrar do Destino Manifesto dos EUA e a sua autocracia mundial que não hesita em descumprir qualquer resolução da ONU que não se coadunem com os seus interesses geopolíticos.
Ou seja, quem manda na ONU é os EUA.
Para se saber sobre a participação da Casa Branca em mais um golpe de Estado no Brasil é só consultar no Google as denuncias do Julian Assange e do Edward Snowden sobre este tema.

José Carvalho, Salvador, setembro de 2016.