sexta-feira, 18 de setembro de 2015

ELEIÇÕES MAJORITÁRIAS DE 2014: ALÉM DA MANUTENÇÃO DE UM PROJETO DE GOVERNO E SEUS AVANÇOS.

Se costuma pensar em relação as Eleições de 2014 como uma disputa eleitoral  travada entre dois projetos de governo.

Mas,não, a competição transcendia a questão do melhor projeto de governo para o Brasil.

Pais e mães de família se empenharam em defesa dos seus filhos além de qualquer projeto político ou ideológico para  o país, pais que não queriam que a nação se tornasse uma nova Colômbia, maior produtora de cocaína do mundo - responsável por 50% de toda produção mundial de pasta base de coca.

Por isso as eleições do ano passado foram uma das mais acirradas desde o advento da República, marcada por ataques viscerais contra a vencedora do pleito.

Ataques que partiam de forças como dizia Jânio Quadros "ocultas" - ocultas quanto as suas identidades mas de propósitos, desejos e vontades bem conhecidos.

O que estava em jogo em outubro do ano passado era o projeto de salvar as famílias, a ordem, a saúde, a segurança publica e o futuro da nossa juventude - uma luta titânica entre um dos mercados mais rentáveis do planeta  e o de valorização das famílias, do trabalhador, das riquezas nacionais e da saúde  em todos seus aspectos.

Mas esse poderoso mercado não se deu por vencido, ameaçou fazer oposição ao Brasil e tem feito - não é oposição a um partido ou governo mas a Nação Brasileira e suas intimidações têm se cumprido desde o inicio da reeleição da atual mandatária.

Oposição que deseja trazer o caos a todos os fundamentos econômicos da nação brasileira e, assim, vender o que ainda resta das suas riquezas e patrimônio e fomentar o comercio global do narco negócio a partir do Brasil.

Mas, graças a Deus, venceu a família e o projeto de diminuir as desigualdades em todos os níveis no país.

José Carvalho, Salvador, setembro de 2015.