sexta-feira, 18 de setembro de 2015

QUE CULPA TENHO SE O MEU SANGUE É VERMELHO E O MEU CORAÇÃO FICA DO LADO ESQUERDO? CHE GUEVARA

Ser de esquerda é optar pelo justo, ser de esquerda e estar ao lado dos que mais necessitam de apoio. Ser de esquerda é defender direitos da coletividade, é lutar por justiça e igualdade social. A direita não defende direitos, mas sim privilégios para um pequeno grupo, pois seus atos e atitudes são arraigados por egoísmo, preconceito e seletividade. 
Nas eleições presidenciais e estaduais de 2014, o Brasil assistiu a uma onda de discursos agressivos, especialmente nas redes sociais, que se dividiam em dois lados: os de esquerda e os de direita, associadas pela maioria aos partidos PT e PSDB/DEMo respectivamente. 
Com a Assembleia Nacional Constituinte montada para criar a nova Constituição, as camadas mais ricas não gostaram da participação das mais pobres, e preferiram não se misturar, sentando separadas, do lado direito. Por isso, o lado esquerdo foi associado à luta pelos direitos dos trabalhadores, e o direito ao conservadorismo e à elite. 
Dentro dessa visão, ser de esquerda presume lutar pelos direitos dos trabalhadores e da população mais pobre, a promoção do bem estar coletivo e da participação popular dos movimentos sociais e minorias. Já a direita representaria uma visão mais conservadora, ligada a um comportamento tradicional, que busca manter o poder da elite e promover o bem estar individual. 
Para o filósofo político Noberto Bobbio, embora os dois lados realizem reformas, uma diferença seria que a esquerda busca promover a justiça social enquanto a direita trabalha pela liberdade individual. 
"Esquerda e direita indicam programas contrapostos com relação a diversos problemas cuja solução pertence habitualmente à ação política, contrastes não só de ideias, mas também de interesses e de valorações a respeito da direção a ser seguida pela sociedade, contrastes que existem em toda a sociedade e que não vejo como possam simplesmente desaparecer. Pode-se naturalmente replicar que os contrastes existem, mas não são mais do tempo em que nasceu a distinção", escreve Bobbio no livro "Direita e Esquerda - Razões e Significados de uma Distinção Política".
Com o tempo, outras divisões apareceram dentro de cada uma dessas ideologias. Hoje, os partidos de direita(leia-se PSDB, DEMo, PMDB e etc...)abrangem conservadores, democratas-cristãos, liberais e nacionalistas, e ainda o nazismo e fascismo na chamada extrema direita. 
O pensamento de esquerda é associado a bases ideológicas como marxismo(não somente) socialismo, anarquismo, desenvolvimentismo e nacionalismo anti-imperialista (que se opõe ao imperialismo). 
Outro tema fundamental para as duas correntes é a visão sobre a economia. Os de esquerda pregam uma economia mais justa e solidária, com maior distribuição de renda. Os de direita seriam associados ao liberalismo, doutrina que na economia pode indicar os que procuram manter a livre iniciativa de mercado e os direitos à propriedade particular. Algumas interpretações defendem a total não intervenção do governo na economia, a redução de impostos sobre empresas, a extinção da regulamentação governamental, entre outros. 
Para a esquerda, o neoliberalismo é associado à direita e teria como consequências a privatização de bens comuns e espaços públicos, a flexibilização de direitos conquistados e a desregulação e liberalização em nome do livre mercado, o que poderia gerar mais desigualdades sociais.
Direita e esquerda também têm a ver com questões morais. Avanços na legislação em direitos civis e temas como aborto, casamento gay e legalização das drogas são vistas como bandeiras da esquerda, com a direita assumindo a defesa da família tradicional, (pura hipocrisia) são associados ao patriotismo, com discurso forte contra a imigração (xenofobia). O que realmente me entristece e ver pobre, trabalhador e grupos que são perseguidos e humilhados pelos representantes da direita e pela burguesia, defendendo projetos que não lhes representam. É desanimador e preocupante ver certas pessoas legitimando interesses que não são seus, apenas são condicionados, manipulados pela mídia partidária. Espero que estas pessoas que destilam esse ódio que fora engendrado pela sanha iconoclasta da mídia, burguesia e a direita, comecem a perceber que a mentira, hipócrita e falácia são intrínsecos ao comportamento da direita, assim, saibam identificar quem são os verdadeiros inimigos do povo. Podem apostar que o nosso inimigo não está na presidência da República, mas sim na Câmara, no Senado, principalmente aqueles que representam a bancada BBB ( bancadas da bala, boi e bíblia). A História dirá e mostrará quem de fato faz muito pelos mais necessitados, quem de fato fez e faz o Estado atuar e principalmente saberão quem sempre trabalhou na perspectiva de minimizar a intervenção estatal. Podem acreditar, a presidente Dilma Rousseff, tem uma biografia limpa, mulher guerreira, forte, ética e principalmente honesta. Ela está sendo perseguida justamente por ser combativa e implacável na luta contra a roubalheira e corrupção. Querem tirá-la do poder justamente para roubarem sem que haja investigação e punição, assim como faziam outrora. A corja do PMDB, PSDB e DEMo, estão ávidos pelo retorno ao poder. Golpistas, canalhas, estes são os verdadeiros larápios do erário. Acorda povo!

Por Ana Ribeiro, assistente social e professora universitária.