quarta-feira, 20 de maio de 2015

PSDB E A MEMÓRIA DE CONVENIÊNCIA.

O Programa Nacional do PSDB no dia de ontem, 19 de maio, evidencia que o partido tem problemas de memória cognitiva, só consegue se lembrar de fatos recentes.

Escândalos como o do caso SIVAM, Privataria Tucana, Pasta Rosa, o pagamento de propinas a políticos, juízes e jornalistas no valor de R$ 18 milhões para favorecer os interesses tucanos comprovados através da Operação Satiagraha, Banestado entre outros sofreram um repentino bug de memória.
Sem citar o fato de que o próprio partido tem prefeitos e governadores eleitos acusados de roubo, inclusive, o presidente da legenda teve o seu nome citado várias vezes pelo doleiro Roberto Youssef em seu depoimento a Operação Lava Jato.
O ataque psdbista surfa na desarticulação da base aliada do governo que passa por uma crise de identidade sem saber se é governo ou oposição.
Mas tanto FHC e Aécio Neves deixaram claro que as suas preocupações, os seus temores recaem sobre uma possível candidatura do ex-presidente Lula ao pleito de 2018 ao enfatizarem:
“O Brasil precisa saber definitivamente quem roubou, quem mandou roubar e quem, sabendo de tudo, se calou ou nada fez para impedir”
A favor do falso discurso puritano dos tucanos conta as medidas impopulares adotadas pelo Palácio do Planalto para o ajuste fiscal que atingem os eleitores das classes C,D e E reduto petista.
O programa do PSDB serviu para tirar duvidas sobre o seu principal alvo, que não é a presidenta Dilma Rousseff mas o ex-presidente Lula - não desceram do palanque desde de outubro de 2014 e assim pretendem ficar até 2018.
Antecipar disputas eleitorais não tem sido uma decisão acertada em muitos momentos da História Política Nacional, o quadro se reverte, as dificuldades se superam e o tempo se encarrega de trazer a luz a verdade dos fatos.

José Carvalho, Salvador, maio de 2015.