terça-feira, 31 de março de 2015

EXECUTIVO VS LEGISLATIVO X JUDICIÁRIO.

O ex-ministro Joaquim Barbosa , o blasonador, quando esteve à frente do STF fez com que os basilares da magistratura, como a imparcialidade e a neutralidade, perdessem espaço para a sua vaidade pessoal, o fascínio, o deslumbre por uma possível ascensão politica através da disputa por um cargo eletivo, fez com que o vaidoso ministro claudicasse entre o seu dever de cumprir os princípios da autoridade judicial e a politica.
Como dizia François Guizot:
“Quando a política penetra no recinto dos tribunais, a Justiça se retira por alguma porta”.
O ministro saiu,se aposentou mas o ranço deixado por ele no judiciário ainda permanece.
O casuísmo praticado por parte de membros do judiciário dão prova disso através do seu reducionismo de só atingir o PT na apuração dos casos de corrupção no governo federal e preservar os "amigos" políticos no poder e neste embate contra o governo federal o judiciário encontra respaldo no Congresso Nacional através das pessoas de Eduardo Cunha e Renan Calheiros.

José Carvalho, Salvador, março de 2015.