domingo, 29 de março de 2015

PMDB, O PARTIDO CHUCHU.

A hortaliça-fruto chuchu é conhecida também como fruto camaleão por não ter sabor próprio ou definido.
Assim é o PMDB, um partido chuchu, um partido sem identidade politica ou ideológica.
Por isso o seu sabor fica a critério do prato a ser preparado, no caso do PMDB, de quem estiver no poder.
Um partido que não ser definido como de direita,de esquerda ou de centro.
O ex-ministro Cid Gomes em seu discurso no Legislativo se referiu indiretamente aos peemedebistas quando dizer que aquela casa estava cheia de “achaques” - prefiro o sinônimo de deformado moral que se aproveita da fraqueza dos outros para extorquir ou obter vantagens ilícitas.
No próximo dia 31 de março o presidente do senado federal, Renan Calheiros, se aproveita da fraqueza política do governo Dilma e começa a bradar que vai colocar para votação o projeto que impõe prazo de 30 dias para regulamentação da mudança do indexador que corrige a dívida de Estados e municípios com a União.
Com esta medida o senado inviabiliza o pacto federativo que permitia discutir de forma conjunta - executivo e senado federal - as medida econômicas de ajuste fiscal propostas pelo ministro Joaquim Levy.
Esta semana,também, o senador Renan Calheiros afirmou que barraria qualquer indicação da presidenta Dilma Rousseff para ministro do STF em lugar da vaga de Joaquim Barbosa.
Esse é o PMDB, um partido parasita que só pensa em tirar proveito das situações com o seu fisiologismo rasteiro - agiu assim com os governos Collor, FHC e Lula.
O seu discurso retórico para ludibriar os seus eleitores é dizer que exerce o seu cargo eletivo em "nome do povo".
Quando na verdade são os seus interesses privados, políticos e partidários que priorizam em seus mandatos fazendo de conta que "agem" em nome do povo.
O mandato é deles, dos deputados e senadores, são do povo somente de 4 em 4 anos.
O PMDB não tem compromisso com o Brasil ou com quem se declara ser "aliado" - extorquir vantagens é o seu lema, não importa a ideologia politica ou a legenda partidária de quem ocupa o executivo federal.
José Carvalho, Salvador, março de 2015.