segunda-feira, 20 de abril de 2015

AÉCIO NEVES E A SÍNDROME DE CAPGRAS.

Um olhar atento sobre as ações do senador tucano Aécio Neves, é possível perceber que a derrota apertada para a presidenta Dilma Roussef no ultimo pleito eleitoral mexeu com o psiquismo do político  e, de certa forma, ele deixa transparecer que se lhe abriu uma porta para os problemas psicológicos.

A sua insatisfação e revolta por não ter tido êxito nas urnas é algo que o senador não consegue esconder - está patente a olhos vistos.

No início as suas ambições golpistas eram veladas, adotava o estilo morde e assopra - conspirava, articulava e instigava nos bastidores um golpe branco contra a presidenta eleita e depois buscava os holofotes da grande mídia para "assegurar" a sua opção pelo respeito a democracia - só fachada.

Depois que o TCU ter dito que a presidenta Dilma pode ser responsabilizada por crime de manobra fiscal, fez reacender em Aécio Neves a pressão pelo pedido de impeachment da presidenta.

O senador desde que começou o ano legislativo não tem feito outra coisa senão atacar de modo ostensivo,contínuo e rasteiro a representante do executivo federal.

O seu desempenho parlamentar é pífio no senado federal e tende a continuar assim devido a sua ideia fixa de quem deveria ser o presidente da republica era ele, não Dilma.

Sinal claro que o jovem político pode ter desenvolvido a Síndrome de Capgras, uma desconexão entre áreas do cérebro que produz a crença ilusória de que alguém próximo foi substituído por um impostor idêntico.

Ou seja, o senador tucano ver a presidenta petista como uma impostara devido ao trauma psico-emocional sofrido nas eleições passada.

Lamentável.

José Carvalho, Salvador, abril de 2015.