sábado, 25 de abril de 2015

CONGRESSO MUNICIPAL DO PT EM SALVADOR.

O Congresso Municipal do PT de Salvador, realizado na sede do SINDAE no bairro do Barris no dia 25 de abril, foi coroado com a presença de nomes importantes do PT da Bahia.
Como José Sergio Gabrielli, Marta Rodrigues, Beth Wagner, Maria Del Carmen, Vânia Galvão, Valmir Assunção e o experiente político Waldir Pires, o ex-governador da Bahia e atual vereador da capital no alto dos seus 89 anos enriqueceu o debate com a sua experiência.
O mais ilustre dos convidados foi a militância petista, a razão e o motivo do PT existir como "partido dos trabalhadores e das trabalhadoras do Brasil".
A  pauta dos debates tratou da conjuntura política e econômica do país.
Militantes petistas veem, assim como eu, o ministro Joaquim Levy como um desconstrutor dos planos,propósitos e práticas dos objetivos definidos pelo partido desde a sua criação - um "alemão", um "X-9", um infiltrado para minar o partido.
Já postei no Politica & Atualidades minhas divergência em relação a política fiscal contracionista posta em prática pelo ministro Levy, um banqueiro tradicional, economista da Escola de Chicago que prega o livre mercado ou liberalismo econômico em prejuízo da Escola Keynesiana onde o Estado é um agente indispensável para o controle da economia.
Quem não se lembra da fala do ex-presidente Lula quando declarou quem salvou o Brasil da Crise Financeira Global de 2008 foi o Estado Brasileiro?
O economista Sergio Gabrielli esclareceu em sua fala que na época o Governo Federal abriu mão de impostos desonerando produtos industrializados de IPI,PIS e COFINS a fim de manter o consumo interno.

Contudo, isso teria que ser uma solução emergencial de curto prazo mas as ondas de choques da Crise de 2008 ainda são sentidas pela economia mundial, a Europa fragilizada, os EUA ainda patinam, na Ásia a China já não cresce como antes, o Japão há anos não consegue crescer satisfatoriamente.

O que era para ser uma solução de curto prazo acabou se estendendo por praticamente 6 anos - Ou seja, as contas nacionais se desequilibraram.
Por causa da menor oferta de moeda no mercado causada pela fiscal do ministro Levy, o consumo dos trabalhadores e do setor de serviços têm diminuído e o governo não pode mais repetir a fórmula de 2008.

Como foi bradado no Congresso Municipal do PT de Salvador ou Levy sai ou Levy derruba a presidenta Dilma Rousseff.
O mais grave,porém, é a crise política - sobre a crise política já fiz  publicações aqui.
O recado deixado no final do Congresso é de que o PT precisa se refazer interna e externamente, voltar às ruas, aparar as arestas que causaram danos a sua imagem e continuar avançando em apresentar novas propostas mais à esquerda para o desenvolvimento econômico e social do país.
José Carvalho, Salvador, abril de 2015.